Carrinho de compras
Seu carrinho está vazio

Atendimento

0

DESCONTO VIA PIX

3% OFF pagando à vista no Pix!

PARCELAMENTO

Parcele suas compras em até 12x.

ATENDIMENTO ONLINE

Esclareça suas dúvidas com nossa equipe.

FRETE GRÁTIS

Acima de R$300 na cidade do Rio. Opções de envio para todo Brasil.

COMPRE E RECEBA HOJE

Consulte áreas e horários.

05/12/2023

Dezembro laranja: informação, prevenção e tratamento do câncer de pele

O câncer de pele provoca um alerta crescente em todo o mundo, mas compreender seus sintomas, formas de prevenção e opções de tratamento pode ajudar a proteger a saúde de sua pele. Neste artigo, exploraremos tudo o que você precisa saber sobre o câncer de pele.

No Brasil, a campanha Dezembro Laranja é liderada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), que ressalta a importância da informação e orientação de profissionais da área como forma preventiva da doença.

Este é o tipo de câncer mais comum entre os brasileiros, representando 33% de todos os diagnósticos da doença. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), cerca de 185 mil novos casos são previstos a cada ano. O tipo mais comum é o câncer da pele não melanoma, que possui baixa mortalidade.

O que é o câncer de pele?

O câncer de pele é provocado pelo crescimento anormal de células e acontece quando os raios solares ultravioletas A e B prejudicam a barreira protetora.

A pele é o maior órgão do corpo humano e tem a função de proteger o organismo de agressões que podem ser diversas, como: vírus, bactérias, problemas causados por questões ambientais e desidratação.

O surgimento do câncer é provocado por células que crescem de forma desordenada. Conheça os tipos:

NÃO MELANOMA: é o mais frequente e o menos agressivo, com maiores chances de cura, se descoberto no início.

MELANOMA: um dos mais agressivos de todos os tumores malignos. Normalmente, se dissemina rapidamente para outros órgãos. Seu grande fator de risco é o histórico familiar.


Saiba como evitar o câncer de pele

  • Proteção contra a exposição ao sol;
  • Uso de protetor solar;
  • Roupas de proteção e acessórios;
  • Evite a exposição excessiva durante os horários de pico;
  • Conscientização sobre raios UV e suas consequências;
  • Exames de pele regulares.

Sinais de alerta

É preciso estar atento a alguns sintomas como feridas que sangram e não cicatrizam, localizadas principalmente em pele exposta ao sol, cicatrizes antigas e úlceras crônicas.

Já para o tipo melanoma, os indicativos são manchas antigas e que, normalmente aparecem no tronco, em homens, e na perna, em mulheres, com os seguintes aspectos:

  • Assimetria;
  • Borda irregular;
  • Cores (vermelho, preto e marrom);
  • Diâmetro maior que 6 mm;
  • Evolução.

Quem faz parte do Grupo de risco

Saiba quem está mais propenso a desenvolver a doença:

  • Pessoas de pele, olhos e cabelos claros;
  • Trabalhadores que atuam em contato com agrotóxicos;
  • Pessoas com histórico familiar de câncer de pele;
  • Aqueles que sofreram queimadura do sol na infância;
  • Quem possui histórico de doenças de pele;
  • Idosos.

O que fazer quando diagnosticado com câncer de pele

O ideal é diagnosticar precocemente para que o tratamento tenha mais resultado, inclusive os de baixa letalidade.

A escolha do tipo de tratamento vai de acordo com a extensão do câncer de pele, mas na maioria dos casos é possível realizar procedimentos simples. Entre os mais conhecidos estão a radioterapia, a quimioterapia, imunoterapia, medicações orais e tópicas e, cirurgias. Confira os principais:

Cirurgia excisional: ocorre quando a remoção do tumor é realizada com um bisturi, e também de possui uma borda adicional de pele sadia, como margem de segurança. Nesses casos, os tecidos removidos são examinados ao microscópio, para aferir se foram extraídas todas as células cancerosas. 

Curetagem e eletrodissecção: é utilizada em tumores menores, promovendo a raspagem da lesão com cureta, enquanto um bisturi elétrico destrói as células cancerígenas.

Criocirurgia: proporciona a destruição do tumor por meio do congelamento com nitrogênio líquido.

Cirurgia a laser: retira as células tumorais usando o laser de dióxido de carbono ou erbium YAG laser.

Cirurgia Micrográfica de Mohs: o cirurgião retira o tumor e um fragmento de pele ao redor com uma cureta. Esta técnica é realizada até que não restem células tumorais. O procedimento é indicado para a região do rosto, onde cirurgias amplas podem levar a cicatrizes extensas e desfiguração.

Terapia Fotodinâmica (PDT): o médico aplica um agente fotossensibilizante, como o ácido 5-aminolevulínico (5-ALA) na pele lesada.

 

Perguntas frequentes

Devo usar protetor solar mesmo quando estiver na sombra?

Sim! O nosso corpo recebe o efeito dos raios solares UVA e UVB até mesmo na sombra. Portanto, independente do clima, use o filtro todos os dias.

O câncer de pele é contagioso?

Não! Nenhum tipo de câncer pode ser transmitido de uma pessoa para a outra. Ele surge quando as células do corpo se multiplicam de maneira desordenada.

O câncer não melanoma pode evoluir para o melanoma?

Não, já que são tipos diferentes. O primeiro é mais comum e menos grave, além de ser curável com tratamento cirúrgico. O segundo é mais agressivo, tem o histórico familiar como um dos fatores principais e se espalha para outros órgãos rapidamente.

Agora que você já sabe tudo sobre o câncer de pele, abrace a causa do Dezembro Laranja. 

Conclusão

Manter a saúde da pele é fundamental para uma vida plena e saudável. Ao compreender os sinais de alerta, adotar práticas preventivas e buscar o tratamento adequado, é possível reduzir os riscos associados ao câncer de pele. Não subestime o poder da educação e da conscientização na luta contra essa doença.